pintura religiosaA arte entre o céu e o inferno, assim pode-se denominar a arte da Idade Média. Os pintores e escultores dos períodos romântico e gótico – as duas épocas mais influentes entre os séculos 11 e 15 – procuravam, sem compromissos, glorificar tudo o que era divino ou enfatizar tudo o que era do submundo ou demoníaco. A idade média entrou como um capítulo obscuro e sinistro da história e o poder da igreja católica nunca foi tão forte como durante essa época, que fica marcada pela inquisição, a peste e inúmeras guerras fazendo com que os artistas baseassem suas obras nessas três coisas.

A influência na arte

A medicina ainda não era muito avançada, e a igreja determinava o dia-a-dia das pessoas, que eram marcadas por doenças e preocupações. Para mostrar aos crentes o que era a vida na terra, principalmente em relação à vida no céu e do inferno, os quadros eram geralmente pintados com cores bem fortes, porém escuras, como em tons de vermelho, marrom escuro e preto – e enfatizado era o que acontecia com quem não seguisse os mandamentos de Deus. Pinturas como as do artista holandês Jan Peter Brueghel ou Hieronymous Bosch, por exemplo, foram os primeiros a retratar a desobediência dos mandamentos e de quão terrível parecia ser o inferno. Suas pinturas estão entre os quadros mais conhecidos e dramáticos da arte medieval. Do ponto de vista atual, assim como as pinturas, as igrejas construídas na época em arquitetura românica e gótica, também são mais dignas de museus do que casas de Deus. Os vitrais eram coloridos e contavam histórias, e os altares eram forrados por obras de arte – como, por exemplo, o Altar de Matthias Grünewald – que eram abertos apenas aos domingos e feriados importantes, para mostrar às pessoas a beleza e o poder de Deus. O poder das imagens na Idade Média seguia uma razão bem simples: para que as pessoas pudessem imaginar as histórias que se passam na Bíblia. Poucas pessoas sabiam ler e escrever na época, e as missas celebradas eram em latim, assim como os livros existentes.

Bíblias escritas à mão

Uma arte considerada especial da Idade Média são as cópias manuscritas da Bíblia. Na maior parte dos mosteiros da época haviam monges especializados em decorar as cópias com imagens e com escritas ornamentais. Ouro de verdade, e na época o precioso púrpura concediam uma aparência impressionante às Bíblias, demonstrando ao mesmo tempo o poder de Deus e a riqueza da Igreja e mosteiros. Imagens de santos também eram populares na época, e havia artistas especializados em pintar miniaturas, que eram vendidas nos portões das grandes igrejas. Na época, a aquisição de uma dessas pequenas pinturas significava o mesmo que uma a compra de uma quitação, que prometia o caminho ao céu.

Foto: Lucky Dragon – FotoliaSimilar Posts:

 

Etiquetas: , , ,